“Os desafios da mobilidade na Indústria Automóvel” como tema da primeira conferência promovida pela Continental Advanced Antenna

Dez 10 , 2019

Miguel Pinto, presidente da Continental Advanced Antenna, deu as boas vindas a todos os presentes, descrevendo a iniciativa como “a primeira conferência” promovida pela empresa, com o objetivo de reunir temas e elementos relevantes para a indústria e para a economia.

As palavras de Emídio Gomes, vice-reitor para a área da investigação e inovação da Universidade de Trás-os-Montes e alto douro (UTAD), reforçaram a área da mobilidade como uma área muito importante para a investigação da UTAD e deixou o seu total interesse, em nome da universidade, em participar na área.

No painel de debate estiverem alguns dos players do setor: Carlos Ribas, representante do grupo Bosch em Portugal; Luís Miguel Ribeiro, Presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP) e Fernando Machado, Secretário Geral da Mobinov.

Entre estes, as opiniões e testemunhos foram muito similares, forçando a importância que a área da mobilidade acarreta e que a maior transformação de todas será a transformação cultural.

Carlos Ribas, salientou que a “a mobilidade chegou, mas não se sabe bem quando nem onde vai parar”. Reforçou ainda a mudança que a internet e o digital fez sentir nas pessoas. “Hoje queremos saber algo e não nos deslocamos. Vamos à internet ver mais informações” salienta, afirmando que se prevê, através da tecnologia, a autonomia total do carro.

No futuro, os veículos vão ser cada vez mais personalizados, autónomos, conectados e eletrificados.

Luís Miguel Ribeiro, reforça a importância do setor automóvel na estrutura produtiva nacional, salientando que “se não conseguimos aumentar as exportações temos de estimular a produção interna.”

Fernando Machado, apresenta alguns dos números mais importantes para o setor: em 2017 foram produzidos 97 milhões de veículos; em 2018 98 milhões, no entanto mais de 50% dos veículos comprados foram na Ásia e 30% na China

Estamos a caminhar para a transformação dentro da fábrica e dentro do processo”, fazendo automaticamente a ligação para o plano 2025, programa ancora, assente em 5 eixos:
Eixo 1 – Competitividade do cluster
Eixo 2 – Especialização tecnológica
Eixo 3 – Reforço de tecido empresarial
Eixo 4 – Melhoria de faturas transversais do setor
Eixo 5 – Monitorização e avaliação

O final da conferência deu-se com um debate moderado por João Barroso, em que os oradores se juntaram, em mesa redonda, de forma a esclarecer dúvidas e questões apresentadas pelo público.